Search
Close this search box.

Membro do Fórum Nacional de Aprendizagem Profissional, Iphac participa de encontro que define políticas nacionais

Fórum Nacional de Aprendizagem

Em mais uma interação no cenário nacional, o presidente do Instituto Promover (Iphac), Valdinei Valério, participou do Fórum Nacional de Aprendizagem Profissional, nesta terça-feira (18/6), em Brasília (DF). O evento, promovido pelo Ministério do Trabalho e Emprego, teve os propósitos delineados pelo Decreto nº 11.876, de 5 de janeiro de 2024.

De acordo com a organização, o colegiado, de natureza consultiva, e do qual o Iphac é membro, foi instituído com o objetivo de promover a articulação e o diálogo para a implementação e o aprimoramento das políticas de aprendizagem profissional no país. Além disso, cabe ainda estimular o intercâmbio de conhecimento e a integração entre os diferentes segmentos envolvidos com a aprendizagem profissional.

Dentre as sugestões do Fórum, o presidente do Iphac sugeriu como pauta prioritária repensar o Estatuto da Aprendizagem. “Aprendizagem é a principal política de inclusão do jovem no mercado de trabalho, mas ainda não conseguimos atingir a meta de atendimento da juventude de 14 a 24 anos no Brasil”, pontuou Valdinei ao reforçar a necessidade de expansão das políticas brasileiras da área.

Ele lembrou que os próprios órgãos públicos, que já integram o sistema de aprendizagem e oportunidades para jovens aprendizes, participem do cumprimento da cota do jovem Aprendiz. “O Potencial das Cotas de Aprendizagem é algo que deve ser, além de fiscalizado, incentivado, pois temos ainda, em média, 500.000 vagas de Empresas que ainda não estão cumprindo a cota”.

Outras sugestões

Representantes das entidades e instituições participantes do Fórum sugeriram pautas como a interlocução da Aprendizagem com o Plano Nacional de Educação, o fortalecimento da educação profissional, o combate ao trabalho infantil, assim como o fortalecimento da defesa de revisão urgente do novo ensino médio, por ser uma das pautas que mais afetam o sistema de aprendizagem atualmente.

Representante da assistência social de Canoas, umas das cidades mais afetadas pela calamidade climática do Rio Grande do Sul, pediu a inclusão da situação dos jovens do estado nos debates. Bem como outros participantes pediram a inclusão dos casos específicos com alternativas para os jovens, como ocorreu durante a pandemia da Covid-19.

O presidente Valdinei Valério lembrou o trabalho realizado pelos colaboradores do Iphac no Rio Grande do Sul, no Centro Vida, local que abriga o Centro da Juventude Rubem Berta, em Porto Alegre, e que acolheu centenas de desabrigados durante todo o período mais crítico das enchentes.

“Os Centros da Juventude, administrados pelo Iphac em várias cidades do país, como em Porto Alegre, desenvolvem um trabalho essencial de inclusão e impacto social nas comunidades, com cursos e atividades, e também são esses jovens gaúchos, que deixaram de receber este apoio de aprendizagem, que precisam de um olhar diferenciado nesse momento de reconstrução”, destacou.

Leia também:

Compartilhe esse post:

você pode gostar...