Search
Close this search box.

Centro de Referência das Juventudes de Colatina completa um ano de atividades com gestão do IPHAC

Na última sexta-feira (23), o Centro de Referência das Juventudes (CRJ) de Colatina, no Espírito Santo, completou um ano de funcionamento e a comemoração ficou por conta do “Festival Todes”. O Instituto Promover – Iphac, em parceria com a Secretária de Direitos Humanos do Estado, é responsável pela gestão do espaço.  

“Enquanto equipe IPHAC queremos celebrar este primeiro ano de execução do CRJ. Celebramos a vida das Juventudes, que diariamente acessam nossos serviços, as oportunidades e garantias de direitos que se materializam na prática diária e os resultados que temos alcançado neste trabalho incansável de impacto territorial”, relatou Karine Pacheco, coordenadora geral do CRJ, após as festividades. 

O espaço do CRJ Colatina conta com recepção, salas de acolhimento, estética, dança, laboratório de informática, administrativo, espaço para coworking e laboratório de potencialidades.  

Neste primeiro ano, um dos focos da equipe foi o impulsionamento das juventudes no cenário da economia criativa, trabalho e renda, por meio de cursos profissionalizantes nas áreas de estética e informática, com rodas de conversa com nomes de destaque do cenário municipal e inserção no mercado de trabalho. 

Também foram desenvolvidas atividades culturais e artísticas para impulsionar a juventude local, além de debates sobre direitos humanos, pautados no compartilhamento de ideias, conhecimentos e circuitos formativos. 

José Lucas, de 17 anos, que mora próximo ao espaço, conta que antes os jovens não tinham onde ficar e estavam cada vez mais suscetíveis ao mundo do crime. “Eu também estou percebendo mudança em mim por causa do CRJ. Estou tendo oportunidades que não teria lá fora e não tinha antes”. 

Outros jovens que participam das ações do Centro de Referência e a equipe do local, que acompanha a realidade das comunidades do entorno, observaram a contribuição para redução na evasão escolar. 

O Maikon, mais conhecido como MC GD na região, conta que é um dos jovens que foram salvos pelo CRJ. Segundo ele, diversas oportunidades surgiram para a juventude, justamente por participarem do projeto. 

Compartilhe esse post:

você pode gostar...